Estamos estruturando esse Blog para que paróquias, movimentos e pastorais encontrem material informativo sobre Marketing Digital em ambiente Católico.

 

  • Facebook

Luís Fernando Oliveira é Jornalista e Professor nos cursos de:

  • Jornalismo

  • Publicidade e Propaganda

  • Marketing

  • Gestão em Marketing

 

© 2019. mktCAT

  • MktCat

Técnicas de Marketing a serviço da Evangelização

O Marketing cabe perfeitamente em um contexto religioso. Isso porque a Igreja é uma instituição e tem como necessidade primordial o bom relacionamento com os seus fieis. Uma ação evangelizadora é, em suma, uma estratégia de Marketing. Pelo menos, deveria ser. O grande desafio, de qualquer instituição, é alcançar aos fieis em suas necessidades. Por isso, nas linhas que se seguem, queremos apresentar como a Igreja pode aproveitar boas estratégias de Marketing dentro de um contexto cristão.


O Marketing, apesar de ter, em seu tempo histórico, uma conotação mercadológica é, acima de tudo, muito mais administrativo do que publicitário. Aliás, enxergar o Marketing, apenas, como uma ação publicitária é um erro estratégico. Olhando para o que Kotler vem escrevendo sobre o Marketing, principalmente, nos últimos dois livros: Marketing 3.0 e 4.0, fica evidente que o Marketing vai além daquilo que é tangível.


O Marketing, hoje, deixou de ser uma seção isolada dentro de uma instituição. Além do mais, quanto mais isolado for o Marketing, mais erros estratégicos acontecerão. Podemos afirmar que todos os setores de uma instituição carecem de um olhar mais atento e estratégico por parte do Marketing.


Isso se dá por motivos diversos, mas um deles merece destaque: a visão que o Marketing tem sobre a diversidade de públicos que a instituição precisa lidar; o modo como cada público se comporta; e as necessidades de cada um desses públicos.


Pode até parecer que estamos supervalorizando o Marketing. Sim, pode parecer, mas não estamos. Nossa afirmação tem razão de ser. Isso porque o Marketing contemporâneo conseguiu enxergar uma luz no fim do túnel. E essa luz poder ser chamada de equilíbrio, harmonia ou, simplesmente, maturidade. O Marketing, sugerido por Kotler e Cia, vem ganhando maturidade suficiente para entender as reais necessidades do ser humano. Convertendo isso para um contexto católico, o olhar da Igreja deve dirigir-se para o fiel e os diversos públicos que ela lida. Além disso, é necessário que a parceria entre instituição e fiel transcenda para um ambiente mais próximo e relacional.


As estratégias de Marketing são diversas. O primeiro passo é alcançar o público desejado. Diante disso, podemos afirmar que em um contexto de Marketing Católico não temos como errar, uma vez que o nosso “público-alvo” são todas as pessoas, até os confins do universo. Apesar de parecer simples, não é. Talvez seja, até mais complicado. Isso porque cada público é alcançado de forma diferente. Alcançar, aqui, quer dizer impactar, chamar a atenção, despertar o interesse em saber mais...


Diante disso, o maior desafio é como conversar com esta diversidade de públicos.

Conhecer os públicos é o primeiro passo. Quem são eles? Onde moram? Quais são os seus hábitos? Do que gostam? Quais as dores? Como a Igreja (paróquia, pastoral e movimento) pode ajuda-los? Estas e outras perguntas devem ser respondidas.


A Palavra de Deus deixa claro que Jesus conhecia as pessoas e as chamava pelo nome. Na Bíblia, o Profeta Isaias (49,16) diz: “o seu nome está gravado nas palmas de minhas mãos”. Isso revela a importância de conhecer, não só o público-alvo, mas as pessoas, individualmente.


Muitas estratégias podem ser utilizadas para alcançar um determinado grupo de pessoas. Hoje, com o advento das tecnologias, podemos criar grupos no Whatsapp, no Facebook, por e-mail (muitos dos nossos fieis tem e-mail) e muitas outras estratégias. Nesses grupos podemos iniciar um processo de catequese; estimular o compartilhamento de experiências; o engajamento em pastorais e movimentos; e, principalmente, o relacionamento com a Igreja (paróquia).


O início da Igreja foi por meio de pequenas comunidades. No livro dos Atos dos Apóstolos, logo no início, diz que tais comunidades tinham tudo em comum: uma só alma e um só coração. Sem querer ser romântico demais, mas, ao mesmo tempo, fazendo uma leitura dos novos tempos, é possível vislumbrar comunidades mais envolvidas com a Igreja, por meio de técnicas de Marketing a serviço da Evangelização.


De coração, eu acredito nisso!


Este é, apenas, um pequeno exemplo das muitas estratégias que podem ser feitas. Em nosso próximo artigo vamos conversar um pouco mais sobre como alcançar e atrair novos fieis. Até lá!


*Luís Fernando é professor de Jornalismo, Publicidade e Propaganda, Curso Tecnológico em Marketing, Especialização em Gestão e Marketing e MBA em Marketing Digital. Escreveu dois livros didáticos sobre Marketing Digital, e, hoje é Gestor do MBA em Marketing Digital.

4 visualizações